A comunicação que pode fazer a diferença no ambiente de negócios

comunicação que faz a diferença

Não há dúvida de que um número cada vez mais significativo de empresas de grande e médio porte vem dedicando um bom volume de recursos e de tempo de suas lideranças para implementar e executar seus programas de compliance. Na busca por uma atuação íntegra, em sintonia com as expectativas da sociedade e em resposta a um arcabouço legal recente, muitas empresas se deparam com o desafio de disseminar entre seus profissionais, de todos os níveis hierárquicos e áreas de atuação, valores de integridade e atuação responsável, além da necessidade de tornar conhecidas uma nova gama de normas, políticas, códigos e manuais.

Mais do que nunca, a comunicação com os profissionais é estratégica para preparar as empresas para este novo ambiente de negócios. O próprio Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União, que tem produzido cartilhas para orientar as empresas na adoção de um Programa de Integridade, enfatiza a importância da comunicação e do engajamento dos profissionais para o sucesso de qualquer iniciativa do gênero.

Um Programa de Integridade estará fadado ao fracasso se não for adequadamente divulgado e entendido em profundidade pelos profissionais da empresa. Em momentos como este, o gestor tem que se perguntar se as normas e políticas, muitas vezes escritas por advogados e especialistas em auditoria e compliance, estão em linguagem adequada para a totalidade dos profissionais. É o momento de usar a criatividade e pensar em formatos de comunicação que facilitarão o acesso ao conteúdo que precisa ser conhecido e entendido por todos. Certo? Sim, embora não seja incomum encontrar Códigos de Ética e Manuais escritos em linguagem empolada, sem nenhum recurso visual mais elaborado, formatados como arquivos de texto, sendo que muitos profissionais hoje, principalmente os mais jovens, estão habituados a “resolver a vida” apenas com o smartphone e seus aplicativos.

Cada empresa terá que fazer um diagnóstico de seus canais de comunicação, repensá-los, calibrá-los de forma precisa para que o Programa de Integridade seja eficaz. Isso sem falar na necessidade específica de comprovação das iniciativas executadas que a própria legislação exige. O planejamento de comunicação torna-se ainda mais desafiador quando as características operacionais da empresa são diversificadas em relação à geografia, à cultura da sociedade local de cada unidade, ao nível educacional dos profissionais, aos hábitos e particularidades de cada profissão etc.

O momento em que qualquer empresa decide criar ou reforçar seu Programa de Integridade deve ser encarado como uma etapa crucial, na qual o papel dos gestores responsáveis, inclusive os de comunicação, ganhará importância fundamental. E a sua empresa, está preparara para isso?

Heloiza Carvalho
Sócia Diretora Tree Comunicação